Curso de Meliponicultura e Sistemas Agroflorestais

A equipe do Projeto Kaapora participou nos dias 09 e 10 de novembro de 2018 do II Curso Sobre Criação de Abelhas Sem Ferrão do Sítio Paraíso Verde, ministrado pela professora Generosa* da UESB.

No curso foram enfatizados aspectos importantes da relação das abelhas nativas com a polinização e os Sistemas Agroflorestais (SAFs), Participaram do cursos de iniciantes na meliponicultura a profissionais que já trabalham com SAFs e que possuem seus próprios meliponários. O curso ofereceu formação básica em meliponicultura, biologia das abelhas e a importante relação de melitofilia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O curso ocorreu nas instalações do Sítio Paraíso Verde, próximo à Serra Grande, município de Uruçuca, Ba. Nossa equipe aproveitou para estabelecer contato com outros profissionais que exercem atividades correlatas ao Projeto Kaapora, como Ras Arthur e sua esposa, que trabalham com destilação de óleos essenciais, com dona Val, parteira tradicional de Uruçuca conhecedora de plantas medicinais, e espera prosseguir com estes contatos a fim de traçar futuras  parcerias.

No retorno a equipe visitou o Meliponário da Aldeia, meliponário urbano de propriedade de Marcela Mendonça, localizado na cidade de Ilhéus, à beira mar. A equipe foi muito bem recebida pela sua proprietária, que mostrou suas excelentes instalações, explicou algumas questões relativas à meliponicultura, conversou sobre sua experiência de projeto junto com a Natura, e combinou com a equipe negócio futuro com enxames de Melipona mondury.

*Doutora em Ciências Agrárias, desenvolvendo a pesquisa na área de Bioecologia de Abelhas, pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB; Mestre em Agronomia, linha de pesquisa Polinização pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB; Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB. Atualmente é professora Parfor/UESB e Coordenadora do Laboratório de Apicultura e Meliponicultura, onde desenvolve pesquisa utilizando a Própolis das abelhas nativas e exóticas, como substância antibacteriana, fungicida, larvicida e repelente de insetos. É Diretora de Meliponicultura da Federação Baiana de Apicultura e Meliponicultura, membro do Fórum Baiano de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Coordenadora da Campanha de proteção as abelhas Abelhas X Agrotóxicos. (Inf. Lattes em 11/2018)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s