Criação de Abelhas

Histórico

A nossa afinidade com as abelhas começou com nossa residência de sete anos na Chapada Diamantina, de 2005 à 2011, período em que tivemos contato com o pessoal da Flor Nativa, Associação de Apicultura do Vale do Capão, e também conhecemos alguns meliponicultores. Desde então, vem sendo uma de nossas metas a implementação de um apiário e um meliponário como parte de nossas atividades econômicas sustentáveis. Em 2018 nos foi oferecido curso de apicultura pelo SENAR e Sindicato Rural de Itajuipe, e como já estávamos por iniciar nossas atividades, aproveitamos o momento para iniciar o apiário.

Em novembro de 2018 participamos do II Curso Sobre Criação de Abelhas Sem Ferrão do Sítio Paraíso Verde, ministrado pela professora Generosa da UESB. No curso foram enfatizados aspectos importantes da relação das abelhas nativas com a polinização e os Sistemas Agroflorestais (SAFs), Participaram do cursos de iniciantes na meliponicultura a profissionais que já trabalham com SAFs e que possuem seus próprios meliponários. O curso ofereceu formação básica em meliponicultura, biologia das abelhas e a importante relação de melitofilia.

Desde então, procuramos sempre nos aperfeiçoar participando de cursos, palestras, visitando outros criadores, meliponários científicos e educacionais etc. Temos algumas publicações a respeito dos cursos e visitas, e você pode encontrá-las em nossas postagens mais antigas na página inicial.

A criação de abnelhas tem dupla função, uma é atividade econômica amiga do meio ambiente para servir como sustento pessoal, e a outra como escola de formação de novos criadores e disseminação de conhecimento sobre as abelhasl. Tanto nosso apiário quanto nosso meliponário foram iniciados em 2018, sendo que já criávamos abelhas nativas. O apiário e o meliponário já vem servindo a atividades de treinamento em cursos, e visitas para educação ambiental.

O nossas abelhas são adquiridas legalmente, de produtores responsáveis, utilizando madeira reaproveitada  e de origem legal, e as nativas são capturadas com iscas, conforme a legislação permite.

Instalações

O apiário foi iniciado com 10 enxames, mas hoje se encontra reduzido à 05 colmeias para consumo próprio e produção para uso em produtos derivados, além de espaço para treinamento em cursos de apicultura. O melipónário hoje é nossa maior enfase em criação de abelhas, tendo em vista as razões ecológicas para a criação de abelhas nativas, e a facilidade para uso em educação ambiental. A produção de mel é voltada para os méis de nativas, com a jataí. Temo duas instalações de meliponário, uma na área do Kaapora, e outra na zona urbana de Pau Brasil, todas registradas na ADAB.

Melípona mondury, nossa primeira aquisição de nativas em 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Curso de apicultura que participamos para formação técnica, com aulas teóricas e práticas dadas pelo professor Danilo Viana Magalhães

Este slideshow necessita de JavaScript.

Curso de Meliponicultura e Sistemas Agroflorestais

Este slideshow necessita de JavaScript.

Alimentando Uruçu Amarela

Meliponário urbano

Este slideshow necessita de JavaScript.

Alimentando Uruçu Nordestina

 

Instalação original do apiário e início do manejo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Teste de produção do apiário. No slide abaixo primeiro mel sendo produzido no nosso apiário. Após alguns meses de manejo com alimentação artificial, foi suspenso o fornecimento de xarope e alimento proteico no início das floradas para as abelhas iniciarem a produção de mel. Percebendo que as colmeias já estavam em franca produção, inserimos as melgueiras e já estamos obtendo resultado, mesmo com o período chuvoso que diminui muito a capacidade produtiva das abelhas.

Este slideshow necessita de JavaScript.