Conservação da Mata

APA Kaapora, criada pela Comunidade Patahó Hãhãhãe  via DECRETO Nº 01, DE 19 DE ABRIL DE 2019.

Realizamos trabalho de conservação da Mata Atlântica. Na área de Kaapora já existia fragmento de Mata Atlântica, porém, o mesmo vinha sendo usado para retirada de madeira para diversas finalidades. Muitas árvores chegaram a serem derrubadas, especialmente as de maior porte e com madeira mais nobre. A mata, contudo, ainda abriga muitos espécimes de arvores, algumas de espécies protegidas e é abrigo de muitos animais silvestes. A mesma ainda estava sendo invadida por rebanhos bovinos que promoviam destuição da vegetação ao usarem como alimento, ou pelo simples fato de estarem se deslocando no interior da mesma, quebrando pequenas árvores, arbustos e cipós, alem de estarem compactando o solo. Nosso trabalho se iniciou pelas conversas com os habitantes próximos para que não mais utilizassem a pequena floresta para retirada de madeira pois a mesma já se encontrava muito degradada, arriscando ser totalmente destruída, e pela solicitação que fizemos aos caçadores para que não mais usassem a área como local de caça. Em relação à caça temos especial cuidado, pois esta atividade vinha sendo exercida ilegalmente para a venda de animais abatidos na cidade de Pau Brasil, cujas denúncias nos chegavam por amigos. esta é uma das situações que o projeto Kaapora pretende inibir pela conscientização de toda a população indígena, para que não permitam o acesso de caçadores não indígenas e não realizem venda de animais silvestres, abatidos ou não.

Madeira abandonada de corte ilegal

Como parte do trabalho, foram construídos 700m de cerca de isolamento para o fragmento de mata atlântica com 2,5 hectares, mais um hectare para ressurgimento espontâneo. Restam aproximadamente 300m de cerca para serem substituídos em razão de estar muito degradada. Foi feito um desvio para que o gado dos rebanhos vizinhos não mais necessitem atravessar a área isolada como forma de acesso local.

Em 19 de abril de 2019, a comunidade Pataxó Hãhãhãe, entendendo a importância de conservar este fragmento de mata, decretou a criação da APA Kaapora, aproveitando o cercamento de isolamento da área efetuado pelo Projeto Kaapora como delimitação da Área de Proteção. A criação de APAs na TI Caramuru já era um pleito da própria comunidade, definido em seu Regimento Interno. A área foi proposta como APA pelo projeto Kaapora no início de 2019, tendo a comunidade formalizado a área como APA através do DECRETO Nº 01, DE 19 DE ABRIL DE 2019 que “Cria a Área de Proteção Ambiental  Kaapora  na Terra Indígena Caramuru Catarina-Paraguaçu”.

A Área de Proteção Ambiental Kaapora terá seus limites estendidos pelas demais áreas do Projeto Kaapora, tais como onde hoje de instala o SAF de 1ha e o reflorestamento de 4ha. Estudos estão sendo feitos para definir as regras de uso e ocupação do espaço, e esta é uma experiência da qual se pretende traçar modelos para implementação nas demais zonas da Terra Indígena Caramuru Paraguaçu. A floresta onde hoje já se decretou como APA será permanentemente zona de conservação da vida silvestre e todas as restrições hoje impostas à esta área serão mantidas.

Este slideshow necessita de JavaScript.